Não pode faltar na sua Estante [Arte]: “Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil”

debret

Chega às livrarias uma nova e mais completa edição do trabalho de Jean Baptiste Debret, pintor escolhido pela corte para retratar um novo País que estava emergindo da natureza selvagem. Essas aquarelas do dia a dia, estão reunidas em “Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil” da editora Imprensa Oficial do Estado de São Paulo que em 625 páginas nos mostra como o Brasil foi retratado e vendido para a Europa.

Debret morou 15 anos no Brasil e dedicou todo esse tempo a retratar de maneira exaustiva o cotidiano desse novo paraíso, graças a esse tempo Debret se tornou um “íntimo” da sociedade, se criarmos uma comparação, ele seria o nosso primeiro Boêmio.

Sapataria

Sapataria

Entre as páginas dos seus trabalhos, temos os escritos que detalha muito bem o momento que o pintor estava retratando, isso nos ajuda a contextualizar ainda mais a pintura que estamos vendo.

No meio desses escritos, percebemos como Debret se mostrava mais amigos dos índios do que dos Portugueses. Em certos escritos ele coloca o português como a raça que se perdeu na vaidade, enquanto o selvagem vive da pureza do seu momento. O Negro que é mão de obra principal da época também ganha um Status de agente modificador.

Escravo Tigre

Escravo Tigre

Essa inversão pode ser explicada pela corrente de pensamento Iluminista que o pintor carrega em suas veias.

Se você gosta de arte e quer entender um pouco mais sobre o seu país, não deixe de comprar este livro.

814017

VIAGEM PITORESCA E HISTÓRICA AO BRASIL
AUTOR Jean-Baptiste Debret
EDITORA Imprensa Oficial do Estado de São Paulo
QUANTO R$ 250 [652 págs.]

Voltamos na Segunda!

 

Anúncios

Não pode faltar na sua Estante [Arte]: O Cubismo – Uma Revolução Estética: Nascimento e Expansão

imageResize

Finalmente chega ao Brasil pela editora Estação Liberdade o livro do Curador francês, Serge Fauchereau: “O Cubismo uma revolução estética”, livro que desvenda todo o movimento artístico de uma geração. Serge coloca o movimento Cubista como o mais importante do século 20, por romper com todas as amarras estéticas de uma época.

Os Cubistas eram Anti-Românticos, não queriam falar de amor ou mesmo da guerra, esses artistas queriam desconstruir tudo a sua volta, para depois reconstruir e dar uma nova significância. O Curador também coloca em contexto, como as novas correntes de pensamento e as descobertas no campo da Filosofia e da Psicologia auxiliaram e embasaram esses novos artistas.

Freud estava em plena evidência em com suas descobertas no estudo da mente humana, sem contar com as mudanças na cidade. A mentalidade humana e o tempo estavam sendo questionados, pois as cidades estavam crescendo e o modo de viver estava mudando.

Cézanne

Cézanne

Na parte técnica da arte, Cézanne já questionava a ideia de perspectiva. Um dos elementos importantes para a construção da técnica do cubismo.

Fauchereau coloca o Cubismo como uma arte que buscava a gosto popular, como “parecia” ser pouco regido por normas e rigor e flertar com assuntos populares e descontruir as coisas por vezes de uma maneira bem engraçada. Mas muitos colocam o Cubismo como uma arte mais voltada ao intelectual.

Picasso

Picasso

Entre outros casos, o autor mostra a participação das mulheres dentro do universo Cubista, passando pela Rússia e indo até o Brasil onde Anitta Malfatti, flertou com o movimento.

Se você gosta de Arte ou que apenas se interessa pelo movimento não pode deixar este livro de fora da prateleira.

cub

O Cubismo – Uma Revolução Estética: Nascimento e Expansão

Autor: Serge Fauchereau

Editora: Estação Liberdade

Tradução: Marcela Vieira e Julia Vidile

Páginas: 254

Valor: 138 reais em média

Não pode faltar na sua Estante [Fotografia]: Writers, Literary Lives in Focus

Faz tempo que não falo de livros por aqui. E mais tempo ainda que não dou indicações de livros que devem figurar nas estantes. Gosto desta categoria, mas é um pouco presunçoso, não acha?

Já que a Dona Canela fez um post sobre fotografia e a moda [clique aqui para ler], resolvi buscar um livro essencial para quem gosta dessa arte, mas dessa vez busquei a dica na literatura, mais especificamente os Escritores.

Luis borges by Ferdinando Scianna

Luis borges by Ferdinando Scianna

O Livro: Writers, Literary Lives in Focus, coloca a figura do escritor em foco com a ajuda dos maiores nomes da fotografia contemporânea.

Esses fotógrafos trabalharam com o retrato e tentaram captar o melhor de cada escritor, dentro do livro, temos “parcerias” como: Jean Cocteau por Herbert List, Truman Capote por Richard Avedon, Julio Cortazar por René Burri, Paul Auster por Bruce Davidson e claro Hemingway pelo seu grande amigo Robert Capa.

Saramago por Lanzarote

Saramago por Lanzarote

O Livro que tem a curadoria do italiano Goffredo Fofi é composto por 250 retratos, Fofi escolheu os principais escritores do século XX, além da fotografia, cada escritor ganhou uma página que fala sobre sua obra e sua relação com o fotografo.

Vale lembrar que Fofi trabalhou durante antes como crítico literário além de colaborar para diversas revistas de fotografia, tendo fundado a revista La Straniero, voltada para fotografia, literatura e arte, seu nome foi emprestado da obra de Albert Camus. A revista existe até hoje.

Faulkner por Bresson

Faulkner por Bresson

Se você gosta de literatura e fotografia o livro é uma boa pedida. Infelizmente o livro chega aqui por meio de importação.

Writers_G

Writers, Literary Lives in Focus

Autor: Goffredo Fofi

Editora: Contrastobooks

Páginas: 512

Preço: 30 Euros no Site Oficial.

O malditovivant volta na quarta.

Não Pode Faltar Na Sua Estante [Cinema]: Quentin Tarantino

“Sempre pensei que o cinema foi inventado para mostrar gente se matando e se beijando.” Tarantino

Chegou no inicio do mês, mais um livro que não pode faltar na sua estante. Quentin Tarantino, o polêmico [e agora amado] diretor de Hollywood, ganhou um guia de seus filmes. O livro serve como guia na carreira do diretor, passando pelos seus tempos nada gloriosos como ator [sim ele fez alguns] e mostrando sua entrada no mundo como roteirista e diretor.

O Livro chegou ao Brasil na hora certa, porque já faz 20 anos que Cães de Aluguel [primeiro sucesso do diretor] chegou aos cinemas do mundo todo, quem conta sobre a trajetória do diretor é o famoso Paul A. Woods um perito em cinema que recentemente escreveu um livro sobre outra lenda do cinema moderno: Tim Burton [O estranho Mundo de Tim Burton]. Woods vasculhou todo o passado do diretor, além de resgatar todas as críticas dos principais jornais da época.

Por meio dessas críticas vemos como o diretor foi ganhando mais espaço na mídia e ganhando crédito com os críticos e criando uma legião de fãs, para se ter uma ideia, em 1992 o diretor esteve em São Paulo para divulgar o filme Cães de Aluguel, o filme fez sucesso por aqui, mas a maioria dos meios de comunicação não deu bola para o diretor, fazendo sua passagem pelo Brasil passar em branco.

As críticas publicadas, não servem só como termômetro de popularidade, ela serve para mostrar como a violência que esteve sempre presente em seus filmes era recebida pelo público, como no caso da famosa cena de tortura em “Cães de Aluguel” [1992] à elevação da “mesma violência” a um nível Cult na homenagem a filmes de artes marciais em “Kill Bill – Volume 1” [onze anos depois].

Outra grande sacada do livro são os comentários do diretor sobre seus filmes, os comentários são retirados de entrevistas. Como a declaração de Tarantino sobre Pulp Fiction:

“As pessoas me perguntam de onde tirei a história da overdose: o resumo é que cada junkie, ou pessoa que experimentou heroína para valer, tem uma versão dessa história – eles quase morreram, outra pessoa quase morreu e eles a trouxeram de volta com água salgada ou a colocaram numa banheira, ou a fizeram saltar com uma bateria de carro”

O livro é muito legal para quem gosta de cinema ou apenas do Diretor, o livro que chega por aqui pela editora Leya [Clube da Luta e Drive] infelizmente a editora não fez um bom trabalho com a edição, por ser um livro sobre cinema ele merecia um tratamento gráfico bem melhor.

 

Quentin Tarantino

Autor: Paul A. Woods

Editora: Leya

Páginas: 384

Por volta de 44,00 Reais

Voltamos na Sexta com muito mais…

Não pode faltar na sua Estante [Fotografia]: Pilgrimage

“Sim, nada mais sou do que um viajante, um peregrino sobre a terra! E você é alguma coisa mais do que isso?” Goeth em dialogo do livro: Os sofrimentos do jovem Werter

 

O carnaval acabou tudo começa a engrenar novamente, e o Blog tb. Pra compensar a ausência, teremos post hoje, amanhã e Domingo. Depois na semana que vem, voltamos com a programação normal. E na próxima quinta, post lá no turmadocafe.com, se você não conhece ainda, tá perdendo tempo.

O “Não pode faltar na sua estante” de hoje é focado em fotografia, mais precisamente em Annie Leibovitz, que recentemente lançou seu mais novo livro, mas só agora ele chegou as livrarias brasileiras [Antes só adquirido via Amazon]. Seu novo livro se intitula Pilgrimage [peregrinação].

Parte interna do livro

O título diz tudo sobre o livro, pois dessa vez Annie olha para dentro de si e esquece o mundo dos retratos e inicia uma volta ao mundo por meio da fotografia, mas com a a idéia de que as coisas ficam, mas as pessoas não.

Esse trabalho que foi idealizado a mais de oito anos, só foi produzido agora, por conta de todo o turbilhão que a artista tem enfrentado, primeiro com a morte de sua parceira, a escritora Susan Sontag e depois por estar sendo processada pelo o grupo Art Capital Group alegando que ela devia milhões em empréstimos e honorários, além de outras várias dívidas adquiridas ao longo de sua carreira.

O divã de Sigmund Freud

 

A Tv baleada por Elvis

Apesar do projeto ser antigo, Annie levou apenas 3 anos para tirar todas as fotos e reunir em um livro. Durante todo o tempo que trabalhou no livro, Annie sempre foi aconselhada a parar e desistir de tudo: “Constantemente me diziam que este livro não traria dinheiro e que eu deveria deixá-lo de lado, mas eu realmente queria fazê-lo. Eu precisava salvar minha alma”.

Além da fotografia tirada nas Cataratas do Niágara [que ilustra a capa do livro], livro traz imagens da casa da escritora Virginia Woolf, do famoso divã de Sigmund Freud, da coleção de espécimes do biólogo Charles Darwin e do único vestido que sobreviveu ao tempo da escritora Emily Dickinson, as luvas que estavam no bolso de Abraham Lincoln no dia em que foi assassinado e a TV que Elvis deu um tiro em uma tarde dos anos 70.

Quarto de Virginia Wolf

Todas as fotos foram tiradas com máquina digital, [barateando os custos de produção e edição do livro] mesmo usando esse novo recurso as fotos ficaram magníficas. Lá fora além do lançamento do livro as fotos ganharam uma bela exposição no Smithsonian American Art Museum ,em Washington. Por aqui não existe previsão e nem planos para a montagem da exposição.

Annie no dia da exposição

Então se você gosta de fotografia, e quer ver um lado mais profundo de Annie Lebovitz vá à livraria adicione esse livro a sua biblioteca.

 

Pilgrimage

Autor: Leibovitz, Annie

Editora: Random House Inc

Páginas: 246

Preço: Em torno de 110 Reais.