Estar com você é perfeito, mas a volta pra casa é sempre dolorida…[Mas eu aguento]….

Diga que você me quer/Porque eu te quero também!

Na terça passada eu sai do meu exílio em Minas Gerais, para encontrar o meu amor. É uma viagem pra lá de cansativa, eu tenho que ir de ônibus, aqui não tem aeroporto [Vou comprar um Helicóptero só para chegar mais depressa], mas o ônibus não sai da minha cidade, ele sai de Varginha [terra do simpático E.T] então tenho que andar mais 60 km.

Ok, você ta pensando puta mão de obra [verdade não vou mentir], mas quando eu vejo aqueles olhos [adoro o seu “O.O” amor], tudo melhora, eu até me esqueço da noite mal dormida, da pessoa do banco de trás que passou a noite comendo aquele maldito Cheetos [sabor chulé].

Por mais experiente que eu seja [sete anos de diferença] eu ainda sinto um frio na barriga quando eu vejo meu amor chegando. E na hora que rola o nosso beijo, ainda dou uma tremidinha de medo.

Logo eu volto ao normal, já sou o Ferds de sempre. E já estou de mãos dadas com meu amor, eu com 1.85 e ela com seus 1.63 [essas são as piores]. Eu de camisa social [naquele maldito calor], não posso negar meu sangue Paulistano, e ela mais que perfeita em seu vestidinho branco, toda “Girlie”.


Estou aprendendo muito com ela, agora dou um valor danado às pequenas coisas, como na nossa quarta,  ficamos sentados ouvindo música no Ipod e trocando beijos e mais beijos, parece uma coisa boba, mas com ela tem um valor muito maior e não para por ai, curtir a brisa [sim um ventinho] tem outro sabor quando faço isso com ela nos meus braços.

Fiquei dois dias com ela, nosso encontro começava às 9 horas da manhã e terminava às 19 horas. Nesse tempo fizemos coisas de casal, passeamos em lojas de departamentos em busca de uma roupa nova para ela, gosto de fazer isso. Matei minha saudade do cinema, fomos ver o Discurso do Rei [Quem disse que ela deixou], tentamos tomar um café em um bairro elegante da cidade, mas não achamos o lugar [Meu amor é toda perdidinha…acho isso um charme].

Meu amor me disse: Quero ficar do lado dele….assim..como se o mundo fosse nosso.

No final da tarde de Quarta, eu tive que ir embora, largar ela é complicado, ficar longe do cheiro dela é doloroso [mas eu agüento], vamos compensar a distância com telefonemas e SMS, mas já to procurando uma nova maneira de escapar do meu exílio, quero ter ela nos meus braços novamente, marcamos para o final do mês que vem.

Volto na Quarta com um Post sobre música, na próxima segunda vou falar sobre o trabalho no campo.

Um barco apareceu…[Ferds foge do exílio]…ele vai atrás do amor.

Eu estou morrendo de saudade dela…..

Já tem 18 dias que eu fiz a minha transição São Paulo [Paulista Moderno Cool] para Mineiro [Fazendeiro Homem do Campo], e confesso to com uma saudade imensa da minha vida antiga, já fiquei dois finais de semana por aqui e ainda não achei uma diversão compátivel com o meu gosto [é quem manda ser um cara chato que não gosta de nada?], mas eu chego lá [Eu acho?].
Uma das coisas que tem me mantido na linha e não estar ligando muito para toda essa mudança, é meu amor. Ela tem compensado essa minha carência da minha antiga vontade e meu gosto por aventuras [Ela me colocou na linha digamos], nunca pensei que isso iria acontecer, mas aconteceu, foi um processo lento, começamos como amigos eventuais, trocávamos poucas palavras em uma certa noite ela me pediu o MSN [garota cheia de atitude].

Em meio a conversas, muita coisa mudou nas nossas vidas, eu conheci pessoas, ela também, mas sempre eu estava pra ela e ela pra mim, eu digo que o acaso conspira contra a gente. Um dia a gente acordou e percebemos o quanto sentimos falta um do outro, ai a coisa mudou de figura e ela novamente cheia de atitude me chamou de amor.

Quero fica do lado dela....assim..como se o mundo fosse nosso.

Por uma jogada do destino ela precisou sumir da minha vida. Eu sofri [cara doeu]. Ai neste momento eu percebi que era ela. Se fosse o Velho Ferds nessa situação, eu tomaria uma dose de Jameson e no dia seguinte eu estaria nos braços de outra [eu era simples]. Eu não podia fazer muita coisa [são 458km de distancia], mesmo assim eu fiz, tentei procurar ela de todas as maneiras possíveis [porra eu encontrei a felicidade não posso perder ela assim]. Ela apareceu e me explicou a dimensão do problema, eu quase desisti, mas uma coisa que ela me disse “salvou”: Eu não quero parar de falar com você, to morrendo de saudade.

A chuva caia em SP na época [apesar de ser Outubro], na terra dela, quase nunca chove, mas a minha chuva fez o problema se dissolver e voltamos a nos falar todas as noites. Mais um ano chegava ao fim e o destino resolveu jogar mais uma vez, só que dessa vez ele conspirou pra gente, marcamos um encontro para o Final Janeiro.

O inicio foi estranho, eu estava fora do meu Habitat natural [Como é quente aquele lugar], ela chegou linda, mas esbaforida. Tive medo de não dar certo [olha só o Ferds como medo], mas aquela era a nossa tarde. Não desgrudei dela um minuto, nem podia, não sabia se teria uma outra chance, me joguei de cabeça.

O dia acabou, mas ficou com um gosto de quero mais, não queria largar ela, tudo aquilo era muito bom….

E tem sido você, e vai continuar sendo você.


Voltei pro hotel, voltei pra SP e ela ficou afastada do nosso MSN…ela estava ocupada, achei que tinha acabado, mas fiquei na minha. Ela voltou pra mim, mais meiguinha do que nunca, recentemente ela arrumou um CHIP TIM [cara isso salva um relacionamento a distância], agora escuto a voz dela todo o dia e não me canso, além de brincar de SMS todo o dia.

No dia 16 de Março, fez um ano que a gente se conheceu e hoje a noite eu pego a barca do meu exílio e vou ficar o dia todo com ela [adoro o cheiro dela, sinto falta]. Volto na quarta a noite, revigorado e pronto para aguentar um pouco mais o meu exílio.

Droga como é bom Amar alguém……