4 Anos de Malditovivant [Malditovivant é uma festa]

Quatro anos de Blog pra mim é muita coisa, nesse meio tempo minha vida mudou radicalmente [e continua mudando]. Tive inúmeras aventuras, conheci lugares novos, revisitei lugares antigos.

O Blog me fez pessoas importantes para a minha vida [muita gente sumiu, uma pena]. Pessoas que eu sei que posso contar. Pessoas que só esse ano eu conheci [pretendo conhecer mais] e no meio disso tudo, uma pessoa que me conhece muito bem. O Blog me fez aprofundar mais em alguns assuntos, e outros blogs me mostraram coisas novas [acho que essa é uma das funções dos blogs].

E com Quatro anos de vida, temos que começar a mudar algumas coisinhas, a primeira mudança é o Header do blog [a faixa com o nome], o logo do blog continua o mesmo [criado pela Desi], mas a faixa mudou, dando mais identidade ao blog. Na barra lateral temos o link para o Twitter e para o Flickr [Essas mudanças feitas pela Gracinha].

Header criado pela Gracinha

Temos outra novidade, mas está em desenvolvimento ainda.

Resolvi atualizar as comparsas também, mas vou deixar para apresentar a nova equipe no domingo junto com o Post da semana.

Muito obrigado a todas as pessoas que três vezes na semana aparecem para ler as minhas notinhas, espero continuar aqui por mais um ano, ou pelo menos até os meus 1.000 posts.

O Malditovivant volta no Domingo mostrando os novos comparsas.

Anúncios

Pra quem realmente ama fotografar [Instant Lab]

O digital e o analógico em plena sintonia.

 

A um tempo atrás eu conheci o site KickStarter [.com], um lugar onde você [amador ou profissional] pode divulgar o seu projeto e buscar apoio financeiro. Um dos projetos mais legais que eu conheci no site foi o Instant Lab, feito pela empresa Impossible [sim isso mesmo] o projeto consiste em criar um sistema similar a Polaroid para os novos celulares.

A Impossible é perita no mundo analógico, recentemente ela comprou um antigo laboratório da Rollei com o intuito de manter viva a chama dos filmes analógicos. Para criar esse novo conceito que mescla o digital e o analógico, a empresa buscou inspiração no passado com a Polaroid SX70 .

Inspiração do passado 70SX

Para criar sua foto analógica é muito simples, você escolhe a foto dentro do seu álbum, aciona o aplicativo do instant lab, encaixa sua câmera no Instant Lab, abra o Obturador, um sinal vai indicar que a exposição terminou agora só fechar o obturador e sua foto já sai instantaneamente.

A foto segue o clássico padrão da Polaroid, com a borda branca e o realce clássico de uma foto analógica. Assim você foge dos filtros de envelhecimento, criando assim uma genuína foto Analógica.

Até o fim da edição deste post a equipe da Impossible já havia conseguido o financiamento necessário para a criação do projeto, que tem um prazo de produção de 22 a 25 semanas. Depois disso será possível comprar esse novo advento fotográfico no site da Impossible [clique aqui], a Kick Start também está fazendo uma pré venda com 3 versões do Instant Lab: Simples na cor prata que vem com 1 pose [149 Dólares], Versão Black com 2 poses [299 Dólares] e uma versão Gold  com 10 poses e o direito de gravar seu nome na máquina [2.000 Dólares].

Agora que você já conhece o Instant Lab, fique atento ao site e espere mais novidades.

Voltamos na Sexta com mais…

Sonho de Consumo – Bike Eletrica [Mobileto]

“I want to ride my bike/I want to ride my bicycle/I want to ride it where I like” Queen – Bicycle Race.

Sempre passei minhas férias de Janeiro e Julho na Praia, era bem divertido pois o tempo demorava a passar e a diversão era constante, seja na Praia ou no prédio com meus amigos [Hoje não falo com nenhum deles]. Mesmo com a Praia, o que me dava mais prazer era andar de bicicleta pela ciclovia, fazia o passeio duas vezes por dia, bem cedinho antes de ir à praia e uma no fim da tarde.

Sempre que chegava a SP, me dava vontade de andar, mas as ladeiras e o transito acabava dificultando isso. Hoje minha bicicleta está desmontada, e nos dias de hoje dificilmente eu vou a Praia. Mas pesquisando na Internet eu encontrei uma solução para um dos problemas [as ladeiras]. Está se tornando comum aqui em SP as bicicletas elétricas, silenciosas e não poluentes, suas baterias auxiliam nas subidas e nos trechos mais longos.

Mas meu sonho de consumo não é uma bike elétrica normal, e sim uma Mobileto. Criada pela Panasonic a Bicicleta que tem previsão para chegar ao Brasil perto do fim do ano, tem design elegante e tem como publico alvo os executivos de terno. A bike que será lançada no Japão no final do mês [lá é comum o uso de Bicicletas para ir ao trabalho] pesa apenas 23kg [em média de 7 kg a menos de uma bike elétrica normal].

A elegante bicicleta vem com protetor de corrente [que evita o condutor se sujar de graxa] e saia em ambas as rodas, evitando que você se suje nas poças d’água ou lama. Seguindo as regras de trânsito a bike vem, com sistema de iluminação de LED e trava antifurto. Além de um sistema de rastreamento que ajuda o usuário a localizar a bike caso ela seja furtada.

Enquanto sua autonomia, a Bike pode percorrer até 54 km, demorando 4 horas para a carga total de sua bateria de íons de lítio.  A velocidade máxima gira em torno de 30 a 40 km.

A Mobileto ainda não tem valor definido, mas se especula que esteja por volta de 2.900 reais. Cerca de 800 reais a mais que uma Bike elétrica convencional.

Enquanto ela não chega, vou tentar montar minha velha Bike e tentar dar uma volta em MG.


Até quarta com um post novo…

Folha conta a história do País em fotos [Coleção Folha Fotos Antigas do Brasil]

“Uma fotografia é um segredo de um segredo. Quanto mais ela te fala, menos você sabe.” Diane Arbus

O Grupo Folha acerta mais uma vez na escolha das suas coleções. Depois de investir em arte [Pintores Clássicos], Musica [Jazz] e arquitetura [Arquitetos de todo o mundo], a Folha traz uma coleção que visa contar a história do nosso Brasil, pelas lentes de quem acompanhou toda a transformação do nosso país.

A coleção Folha, com 20 volumes organizados de forma temática, procura mostrar grandes acontecimentos e cenas do cotidiano do país. Trata-se, portanto, de uma história ilustrada uma história da sociedade, do cotidiano, da economia e da política do país contada por intermédio da fotografia.

A coleção registra as mudanças do Brasil entre 1840 e 1960, para montar esse projeto a coleção buscou nos acervos históricos do Instituto Moreira Salles, o Arquivo do Estado de São Paulo, a Fundação Pierre Verger e o Museu Paulista.

Foram recuperadas mais de 900 fotos para compor a coleção, as fotos estão a cargo de nomes como o francês Marc Ferrez, Augusto Malta e até outras tiradas pela lente antropológica de Pierre Verger. Além desses nomes famosos, muitas fotos foram tiradas por anônimos.

Temas dos livros:

  1. São Paulo
  2. Comércio
  3. O Povo Brasileiro
  4. O Brasil Rural
  5. Crenças e Templos
  6. Festas Populares
  7. Imigrantes
  8. Guerras e Batalha
  9. As Cidades
  10. A Indústria
  11. Cotidiano
  12. Transportes
  13. Protestos e Passeatas
  14. Sertão
  15. Obras e Construções
  16. O Café
  17. Litoral
  18. Dinheiro e Poder
  19. Arquitetura
  20. Paisagens

A coleção que começou no domingo passado, ainda pode ser encontrada nas bancas, o preço de cada volume é de 15,90. Ou você pode entrar no site da Folha e comprar a coleção completa por 254,40 Reais [Assinante] ou 302 aos demais leitores.

Quarta estamos de volta com post novo.

 

Vc está pronto pra Lomography ?

“Uma fotografia é um segredo de um segredo. Quanto mais ela te fala, menos você sabe.” Diane Arbus

 

Desde que as câmeras digitais chegaram ao mercado e logo depois se fundiram com os aparelhos celulares, o ato de tirar uma foto se tornou banal. Hoje não precisamos de um por que para justificar o clique. Apesar disso temos uma grande quantidade de fotos expostas [compartilhadas] com as pessoas, mas muito pouco físico, e a tendência é cada vez diminuir isso.

Entrando na contramão do mundo das fotos digitais, existe a Lomography. Que visa por meio de câmeras analógicas [você vai ter q mandar revelar] criar uma foto com mais qualidade e cheia de estilo. A Lomographya é uma técnica que foi empregada nas câmeras Russas no tempo da guerra fria, elas resistiram até os anos 90 quando foram redescobertas e se tornaram artigo cool.

Para não morrer o movimento da Lomographya os amantes das câmeras criaram novos modelos e mantiveram vivos até hoje.

Graças a essa comunidade existem mais de 50 tipos de câmeras Lomography.

Vou mostrar algumas delas:

Holga

Action

Golden Half

Diana F

Assim que você entra no mundo da Lomography você é convidado a participar do site onde, pode expor todos os seus trabalhos. Além disso, em cada cidade do mundo existe uma embaixada, onde você pode tirar dúvidas, expor seu material e trocar idéias, tudo ao vivo, além de pode comprar novas câmeras. A embaixada Brasileira será inaugurada agora no final do mês em SP.

Se você curte fotografia, você vai se apaixonar por Lomography, to até pensando em pedir uma pro Papai Noel.

Amanhã tem post de filme, lá na turma do Café.