Fassbender faz um homem preso pelo seu vício em Shame.

Sexo e o vício

Fassbender, um homem elegante

Semana passada, me dei o luxo de ir ao cinema, estava com muita vontade de ver SHAME, o novo filme do ator Michael Fassbender e do diretor Steve McQueen [Não estou falando do icônico Steve McQueen]. O filme foi premiado em todos os lugares por onde passou, exceto no Oscar onde Michael Fassbender [um excelente ator] foi esquecido, esse esquecimento tem uma razão, a moralidade do Oscar.

Shame conta a história de Brandon Sullivan [Michael Fassbender] um homem bem sucedido que vive em Nova York em seu apartamento sozinho, Brandon é um homem reservado, mas Brandon esconde um grande segredo, ele é um viciado em Sexo. Viciado de se conseguir prazer no sexo frio, o sexo sem sentimentos.

Esse vício torna Brandon um caçador. Ele procura a chance do sexo casual em qualquer lugar e o diretor mostra isso de maneira exemplar, como na segunda cena do filme onde Brandon está no metro e com uma troca de olhares consegue seduzir uma passageira [uma mulher casada], ele mantém seu olhar fixo para a mulher, ela sai do trem em direção as escadas, Brandon continua no seu rastro, mas acaba perdendo ela no meio do tumulto.

Apesar de estar aprisionado pelo seu vício, Brandon mantém tudo sobre controle, graças a sua privacidade, onde ele guarda sua pornografia dentro do computador, consegue atrair mulheres para seu apartamento ou quando quer contrata uma garota de programa para saciar a sua vontade. Mas esse ambiente hermético criado por Brandon é quebrado com a chegada da sua irmã mais nova Sissy [Interpretada pela Carey Mulligan, talvez seu melhor papel após Educação].

Sissy é o oposto de Brandon, ele é organizado e bem sucedido, ela uma “amante do caos” que ainda não encontrou seu caminho na vida, essa oposição, quebra a redoma que protege Brandon, onde ele perde toda a privacidade em sua casa. Essa quebra faz com que Brandon entre em uma espiral de dor e onde começa a questionar o que ele se tornou.

McQueen, não tem medo de usar a câmera e mostra o caos que o mundo de Brandon se torna, após a chegada da irmã e ao nível de degradação de sua vida. Essas escolhas que por vezes se tornam arriscadas, fazem as cenas de nudez e sexo se torne uma obra de arte, o controle das cores e dos closes certos evita que o filme descambe para uma pornochanchada.

O caçador

Outro acerto do diretor foi na escolha das locações e da trilha sonora, a cidade acaba se torando um personagem, Nova York vira a selva ideal para o predador Brandon. Uma das cenas mais belas do filme é no momento que Brandon se sente sem casa e sai para correr pelas ruas. A trilha sonora pontua o ritmo do ator, e as luzes da cidade e a angustia de Brandon tornam a cena memorável. A cena que antecede o final também é belíssima, o vermelho toma o branco do apartamento.

Shame é um filme forte, não recomendo o filme se você é daqueles que pra tudo que assiste precisa de uma causa e um efeito. Shame não se presta a explicar o porque e nem dar uma ideia do que vem pela frente, ele na verdade faz com que a dúvida persista.

Eu diferente da maioria das pessoas que escreve sobre cinema aqui no Brasil, gostei do filme, agora vá ao cinema e tente tirar suas próprias conclusões, ou espere o filme chegar nas locadoras.

Até quarta…