Um Poeta malfadado e uma parceria.

“Together we stand, divided we fall”  Hey You – Pink Floyd

Na semana passada eu recebi um e-mail do Sr.Fábio, dono do Blog Turma do Café [Clique aqui e conheça], no e-mail ele me convidava a participar do seu Blog, eu prontamente aceitei. Fui convidado a escrever sobre cinema, então com certa periodicidade vou escrever para a Turma do Café. Espero que esse novo desafio seja bem aceito pelos leitores da Turma do Café, também espero que eu corresponda as expectativas do seu “Criador”.

Minha idéia é linkar [tentar] os assuntos do meu post do dia para o dele, falando sobre algum aspecto do filme que será apresentado no meu novo parceiro.

Agora o Malfadado

Um Boa Vida

Minha Primeira tentativa é sobre um Dylan [Não meu querido Bob Dylan] e sim Dylan Thomas um renomado Poeta Galês, que inspirou toda a “Geração Beat” e também Bob Dylan, que na verdade se chama Allen Zimmerman, mas pegou seu nome artístico emprestado do Poeta.

Dylan Thomas vivenciou a Segunda Grande Guerra, mas foi impedido de lutar por conta de seu problema pulmonar, esse fato chegou a ser questionado, alguns especialistas dizem que Thomas comprou esse atestado de um amigo doutor. Já que não podia ir ao front, junto com todos os outros, ele foi contratado pela BBC para ajudar nas propagandas de incentivo aos aliados na Guerra, mas teve em geral a maioria de seus trabalhos recusados, pela alta carga de pessimismo e por ser considerado Romântico diferente de todos os seus contemporâneos.

Mesmo assim chegou a ter alguns livros publicados, mas a fama só chegou após se mudar para os Estados Unidos, lá se tornaria um exímio boêmio e isso acabou colocando Thomas em rota de colisão com os jornais e com a sociedade, aumentando assim sua publicidade. Só que essa divulgação também seria o seu fim, Thomas falece aos 39 anos [quatro anos após chegar aos Estados Unidos].

Um curto período de tempo da vida de Thomas é retratado no belo filme “Amor Extremo” [Clique aqui e leia no Turma do Café]. Tenho alguns poemas de Dylan Thomas entre os meus livros, mas confesso que não sou um apreciador de seu lirismo, mas vai aqui o meu favorito.

ESTE PÃO QUE VENHO ABRIR

Este pão que venho abrir foi outrora centeio,
este vinho sobre uma ramada desconhecida
ficou submerso nos seus frutos;
o homem em cada dia, em cada noite o vento
arrancaram a alegria dos cachos e derrubaram as searas.

Com o vinho, outrora o sangue de estio
palpitava na carne que ornamentava a videira,
outrora neste pão
era feliz sob o vento o centeio;
mas o homem despedaçou o sol e abateu o vento.

Esta carne que despedaças, este sangue
que traz a desolação pelas veias,
eram os cachos e o centeio
nascidos das raízes e da seiva dos sentidos;
este meu vinho que bebes este pão de que te alimentas.

Anúncios

4 comentários em “Um Poeta malfadado e uma parceria.

  1. debondan disse:

    O último verso me encanta em especial ! Um poeta não pode mesmo ir para o front! Seria sempre um desperdício de vida! bjo

  2. Cáh disse:

    Olá!
    Espero que se de bem nessa nova equipe!
    Gostei muito do poema final.

    Avisarei o novo endereço.
    bjs !

  3. O mundo de Assim...Assim... disse:

    Achei o filme Amor Extremo Excelente Ferds!

  4. Cáh disse:

    Oii !

    Passando novamente pra avisar que finalmente o blog novo inaugurou!
    Te espero lá, bjs !

Comente [Vamos dividir um Drink!]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s