Um Policial ou um Cowboy ?

“Confiança é a base de tudo”

 

 

Hoje vai ao ar no Canal a cabo Space, o último episódio da segunda temporada de Justified, a série aborda a vida de Raylan Givens, um policia, com fama de atirador, que após matar um grande traficante de Miami é mandado para sua terra Natal no Kentucky [no condado de Harlan]. Sempre de chapéu na cabeça o Detetive causa um reboliço na cidade por ter se tornado um Detetive, sendo que seu pai foi um dos maiores ladrões da cidade.

Apesar de o seriado ser ambientado na atualidade, mas parece um filme de cowboys, tudo por conta do estilo agressivo e intimidador de Raylan, que não pensa duas vezes antes de sacar sua pistola. Entre seus inimigos, estão Boyd seu amigo de infância e adolescência e seu Pai, que nunca aceitou o fato dele ter se tornado um homem da Lei.

Mas Raylan não é muito prestigiado pelos seus amigos da lei também, por conta da enorme quantidade de problemas que ele trouxe para o pequeno condado de Harlan, que a cada dia que passa se torna uma zona de guerra entre os traficantes e a “Cowboy moderno”. Apesar da quantidade de tiros o filme não pode ser considerado muito violento, ainda existindo uma boa quantidade de Drama, como o relacionamento de Raylan com seu Pai e com sua ex-esposa [Interpretada pela bela Natalie Zea].

O seriado que é baseado no livro de Elmore Leonard´s, onde ele mesmo participou da sua produção e ajudou a Tymothy Olyphant dar vida a Raylan. Tymothy, não teve uma carreira excepcional no cinema, mas tem arrancado bons elogios da critica especializada, por essa temporada ele chegou a ser indicado ao Emmy.O ator havia feito outro cowboy em um seriado chamado Dead Wood, também exibido pelo Space, mas nada se compara ao papel de Raylan.

Apesar de o seriado ter apenas 13 episódios por temporada, os apreciadores de Justified já tem uma terceira temporada garantida. Se quiser ver o último episódio da Segunda temporada, sintonize no canal Space, hoje às 21 horas. Depois disso o canal Space irá reprisar a Segunda temporada.

Nesta Quarta teremos uma novidade no Blog… 

Tatuagens fora da Pele

Eu ainda vejo seu rosto, pintado no meu coração, e escrito na minha alma. The Cult

Começo nessa Terça uma exposição sobre o mundo da tatuagem, só que invés do casual onde as tatuagens estão na pele, elas foram transportadas para telas nos mais diversos tamanhos. Para compor essa exposição foram chamados os tatuadores mais famosos do mundo foram chamados para mostrar sua arte em outro mundo. A Mostra traz tatuadores de todos os cantos do mundo [30 ao todo] com destaque para os Japoneses Horimassa e Ichibay.

Laura Santana - Francesa

A exposição tem curadoria do grupo Good Moments Tattoo Meeting, da dupla Leandro Jimmy e Artur Fame, e tem como tema “o despertar para uma melhor percepção do mundo” os artistas exibem pinturas em acrílico e aquarela, propondo um diálogo direto entre suas produções do dia-a-dia e suas pinturas. A idéia também é tentar desmarginalizar o tatuador e colocar o serviço em um patamar artístico, que é o sonho de toda a classe.

A exposição fica em São Paulo até o dia 05 de Novembro e acontece na Matilha Cultural [um dos espaços culturais mais legais da minha cidade]

QUANDO Até 5/11, das 14h às 20h
ONDE Matilha Cultural (Rua Rêgo Freitas, 542 – Consolação)
QUANTO Grátis

 

 

Fofuras para o Natal [A very She & Him Christmas]

Uma velha tradição está que volta.

 

Nos tempos de Dean Martin e Sinatra, os discos especiais de Natal eram mais comuns. Discos recheados de clássicos que remonta o espírito natalino e trazem um pouco de calor, para a época do ano mais gelada dos lares americanos [isso vale para os sem calefação]. Até certa vez Mr. Bob Dylan entrou na onda do Natal e em 2009 lançou seu disco de Natal.

Agora chegou a vez da minha dupla favorita [Não é Sonny e Cher] She [Zooey Deschanel] e Him [Mark Ward], entrarem na onda do Natal, como todo disco de Natal não pode faltar as mais famosas melodias do tema como The Christmas Waltz [Primeiro Single lançado na Internet] que recebe o acompanhamento do piano e da Guitarra de Ward.

Temos também a divertida e super conhecida Christmas Day que recebeu um tratamento especial com coros de fundo e um solo de guitarra preciso e contagiante, Silver Bells que sempre era cantada por Sinatra, ganha uma roupagem leve ao som do Unkelele tocado por Ward.

Um dos destaques vai para It´s Cold Outside, um clássico do gênero, que apela ao uso do dueto, para retratar uma conversa de um casal, onde um precisar ir embora [Ward] e o outra insiste para que  fique[Zooey]. Esse dueto já foi praticado por dezenas de parcerias ao longo da história, a dupla mostra um contraste legal entre as vozes e ainda tem um assovio para embalar a canção [recurso bastante usado por eles].

linda como sempre

Mas não só de musicas alegres e fofas vive esse disco de Natal, Blue Christmas é uma balada triste. Essa música parece ser a preferida dos Rock stars, já sendo executada pelos Beach Boys e até pelo Rei Elvis, em uma versão romântica, mas carregada de tristeza. Nessa versão Zooey sabe colocar o tom de tristeza necessário.

The Christmas Song, não é das tristes, mas ficou muito boa no estilo melancólico usado pela dupla, a guitarra ditando o ritmo, faz toda a diferença e dá uma roupa nova e elegante, para um clássico.

O disco é muito legal e conta com 12 canções Natalinas, mas não se esqueça que é apenas um Disco de Natal e não podemos levar nada muito a sério e apenas a apreciar as músicas contagiantes e as tristes também.

Não vou disponibilizar o link, mas você já pode achar por ai. Outra coisa, como o Natal já está chegando esse seria um Presente maravilhoso para o Dono deste Blog, ainda mais se for a versão em vinil.

Vou esperar o Presente…

Miles Invade São Paulo e pequeno aviso

“Para mim a vida e a música são só uma questão de estilo” Miles Davis

 

Chegou em São Paulo a mostra “Queremos Miles!”, no Sesc Pinheiros, nela temos o prazer de ver toda a trajetória de um dos mais influentes Músicos do século XX, a mostra é bem sensorial, o tempo todo podemos ver pedaços da vida do gênio, como seu nascimento um ano depois da grande tragédia de Nova Orleans.

Conforme você avança dentro da exposição vemos a criação do lendário Miles, que passa de um garoto tímido em meio a outros talentosos até se tornar o icônico astro do Jazz [pra uns muito mais do que isso], também vemos Miles destruir sua imagem, como na época que se tornou refém da Heroína e buscou no Boxe uma maneira de escapar do vício.

Mas conseguimos ver sua superação quando o artista se reinventa e busca na mídia uma maneira de elevar seu status, esse fato é visto como alguns como apenas mais uma maneira de se destruir, com a prostituição da sua imagem, uma prova disso são as propagandas e comerciais que o astro estrelou nos anos noventa, o mais divertido dele é um comercial de energético para o mercado Japonês.

Outra curiosidade da mostra são seus trabalhos como pintor, podemos ver alguns de seus mais famosos quadros, todos pintados nos meados dos anos 90, mas nada com muita expressão. Uma das melhores projeções da mostra é do período que Miles passou na França, fazendo a trilha sonora do filme Ascenseur pour l’échafaud  [ Ascensor para o cadafalso], um dos mais expressivos filmes da Nouvelle Vague, filme esse que lançou a condição de estrela a Atriz Jeanne Moreau.

Moreau e Miles

Eu tive a oportunidade de ver a mostra quando estive no Rio no mês passado e recomendo. Para gostar do evento não precisa amar Jazz, apenas gostar de música.

 

A exposição fica no Sesc Pinheiros até 22 de Janeiro.

 

Anjo Desgarrado em SP.

Amanhã é o lançamento do Livro Anjo Desgarrado, livro da minha querida Denise Bondan [clique e leia mais] o evendo começa as 19 horas no Shopping Pátio Higienópolis [Eu vou estar fora de SP, mas desejo toda a sorte do mundo]

Atividade Paranormal 3, será o fim?

Mais dos mesmos?

Hoje estréia no cinema o terceiro episódio da saga das irmãs Katie e Kristie, o filme se passa em 1988 e conta como tudo realmente começou. O Filme ainda usa o mesmo estilo que o consagrou, mas com algumas novidades, como câmeras em movimento e o uso do humor, para quebrar em alguns momentos  o clima pesado do filme.

Sinopse: Em meados de 88 as duas jovens irmãs se mudam com a Mãe e o padrasto para uma nova casa, tudo anda tranquilamente na vida de todos, mas as coisas começam a mudar quando Katie começa a conversar com um amigo imaginário chamado Toby, este logo se mostra um amigo diferente e com intenções maléficas.

Eu realmente gostei das duas primeiras versões do filme, eu assisti as duas no cinema e pretendo ver essa nova versão nesta quinta.

Alguém me acompanha?

Releia os Posts dos filmes anteriores:

Atividade Paranormal

Atividade Paranormal II

Livro A Outra Volta do Parafuso [Muito mais que fantasmas]

“Não há mentira pior do que uma verdade mal compreendida por aqueles que a ouvem.” Henry James.

Antes de falar do livro, devo contar como descobri a sua existência. Eram meados de 1998 a Directv [finada empresa de Tv por satélite] havia chegado na minha casa, um ano antes o milagre da Tv a cabo já tinha chegado na minha vida [mas com a analógica TVA]A Directv trazia uma novidade para todos, não dependíamos mais da revistinha para saber o nome do filme e muito menos para saber a sua sinopse, na época o recurso era mais que novo, hoje em dia é apenas mais uma comodidade.

Em uma das tardes sozinho em casa comecei a assistir a um filme chamado os Inocentes, a sinopse contava que o filme era baseado em um clássico da literatura inglesa, escrito por Henry James que se chamava: A Outra Volta do Parafuso.

Fiquei com esse nome na cabeça [durante anos], no mês passado ele me apareceu, eu estava matando tempo na Saraiva, quando achei A Outra Volta do Parafuso, tive que comprar o livro na hora.

Um Livro de leitura simples e história envolvente, ele começa com um encontro de amigos que resolvem contar histórias assustadoras, um deles diz que conhece a história mais macabra de todos os tempos, mas para contar a história ele precisa que passem a noite na casa e esperem pelo pergaminho do conto.

Este pergaminho foi escrito pela protagonista da história que confiou ao jovem os relatos dos acontecimentos que ocorreram quando ela trabalhou de tutora em uma propriedade em Bly.

A jovem tutora deveria cuidar dos dois sobrinhos do seu empregador, ao ser contratada ela recebe instruções simples de seu empregador, ele não queria ser importunado de maneira nenhuma, ela deveria resolver os problemas por sozinha.

Chegando a Bly conhece a pequena Flora, que logo a identifica como “a garota mais doce do mundo”, seu outro protegido chegaria dois dias depois, após ser expulso da escola, sem nunca se saber o real motivo. O mistério começa quando a jovem tutora vê uma figura sinistra no alto da torre.

Esse livro se tornou um clássico pelo teatro de sombras que Henry James cria, onde não sabemos o que é real ou apenas parte do imaginário da jovem tutora [personagem fica sem nome no livro].

O Livro foi lançado pelo selo da Penguin junto com a Companhia das Letras.

Roda Viva volta a sua velha forma.

A velha Arena está armada.

Depois de um período fraco, O Roda Viva volta a sua antiga forma [deixando de ser gravado], agora sob o comando de Mario Sérgio Conti [Editor da Piauí] como um mediador e diversos jornalistas convidados [sempre alternando], entrevistando figuras de destaque da política, das artes, da economia, da academia, entre outras disciplinas.

Em sua última mudança o programa que era comandado por Marília Gabriela, havia abandonado o formato consagrado, mas dito por ela ultrapassado. Ela abandonou o formato ao vivo e colocou na bancada dois jornalistas fixos, os consagrados: Augusto Nunes e Paulo Moreira Leite, mas a maior mudança do programa foi à mudança do cenário, que deixou de ser uma arena e se tornou uma mesa quadrada.

Confesso que não gostei do tempo em que Marília Gabriela apresentou o programa, ela não se encaixou no perfil do programa, a figura dela era apenas de uma mediadora passiva, o que sempre gostei no formato antigo foi “o atiçar do mediador”, que as vezes salvava e as vezes jogava o entrevistado aos leões [usando o sentido mais filosófico possível].

Antiga arena será remodelada, mas continua sendo arena

Com seu primeiro convidado Mario Sérgio Conti, chama um dos personagens mais controversos do período da Ditadura, O Cabo Anselmo. Ex-militar, líder do protesto que resultou no Golpe de 64, Cabo Anselmo atuou em uma organização de luta armada, foi preso e teria delatado muitos amigos, inclusive uma namorada que estava esperando um filho seu [que faleceu por conta da tortura].

O Programa Roda Viva vai ao ar toda a  Segunda as 22horas na TV Cultura.