20 Anos de Grunge (O Fim foi o Começo)

Antes de começar a nota um agradecimento, sim preciso agradecer a minha querida Ingrid do Blog Fulana de Tal [clique aqui e conheça], que fez um post especial no blog dela…eu adorei….adorei..mesmo….Querida Ingrid, Vc sabe que é a mais gracinha de todas….

Como surgiu a ideia do Especial?

Estava eu e meu amigo Humberto, tomando uma cervejinha no Varanda [clique e conheça a casa] e conversando sobre a vida, no meio da conversa surgiu um papo sobre camisas de Rock, ai comentamos da famosa camisa de Smile do Nirvana. Ai disso entramos no Grunge e percebemos que em 2010 vai fazer 20 anos desse movimento cultural.

Ai eu lancei, “topa fazer uns posts pra todas as quintas“…ele prontamente aceitou, nesse mês então ficou combinado falar sobre o Grunge, vamos comentar alguns discos importantes e falar sobre tudo o que aconteceu naquela época conturbada chamada anos 90 [roubei essa frase dos Homer]

Por Humberto Domiciano

É difícil precisar quando o grunge acabou. Para alguns mais afoitos, foi no dia que Kurt Cobain se matou. Para outros não teve uma data específica. Fico com a segunda opção.

O esfriamento do ‘movimento’ grunge foi acontecendo aos poucos. O Nirvana acabou com a morte de Cobain, o Pearl Jam não aparecia mais na MTV, o Alice in Chains, por outro lado, era uma das poucas bandas que continuava no pique, com seu acústico, lançado em 1996.

Entretanto, mesmo com suas principais bandas se desintegrando ou mudando de estilo, o grunge, inusitadamente, sobreviveu por mais algum tempo com bandas e artistas que pouco ou nada tinham a ver com a cena.

O primeiro sinal foi com Bruce Dickinson. Sim, o líder do Iron Maiden, na época em carreira-solo, soltou o duvidoso Skunkworks, com clara tendência grunge.

Depois chegou a vez de Ronnie James Dio, com Angry Machines, no qual o resultado se não foi ruim, também ficou longe de ser bom. Deste álbum vale destacar dois sons: “Don’t Tell the Kids” e “Hunter of the Heart”.

Além desses, o Kiss, no seu obscuro “Carnival of Souls”, mostra um som diferente, com muito peso, músicas mais densas e tristes. As pistas deste caminho já tinham sido dadas no “Revenge”, mas o Kiss com camisa de flanelas (!) só seria conhecido pouco mais tarde, quando a banda nem tinha mais a mesma formação e estava preocupada com as gravações do acústico da MTV.

Eddie Vedder Alive....

Por fim, diversas outras bandas surfaram nessa onda e poucas tiveram sucesso. No entanto é inegável a força que o grunge teve na música dos anos 90.

Anúncios

Um comentário em “20 Anos de Grunge (O Fim foi o Começo)

  1. Grunge,
    Eu.
    Grunge,
    Eu,
    Grunge,
    Eu….
    As letras, tristes, melancolicas e suicidas….
    A voz hora arrastada hora forte…..
    O ritmo hora pesado…hora leve e na maioria das vezes arrastado tambem….
    Dizer que sou fã? Que amo? Que é meu estilo?
    Todo mundo sabe que amo o grunge, amo o estilo musical, O estilo de vestir…o estilo suicida de pensar….Esse estilo gerou uma tribo que durante anos foi somando seguidores..hoje um estilo mais refinado que chamam Cool(na minha opinao os estilos divergem)Mas ai é uma outra historiaaaa ehehehee
    beijinhus ao ferds e ao humberto

Comente [Vamos dividir um Drink!]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s