Destruindo Clássicos (Orgulho e Preconceito e Zumbies)

“A propriedade privada tornou-nos tão estúpidos e limitados que um objeto só é nosso quando o possuímos”. Karl Marx

Eu amo a propriedade privada. Ferds

Ok, eu gosto de Zumbies [de verdade], mas acabar com um clássico. Acho isso já o fim da picada, o livro é um dos meus favoritos, adoro a ironia de Miss Bennet e o estilo de Mr.Darcy [um completo cavalheiro].

Isso só é permitido graças a lei de Domínio Publico. A lei diz que depois de 70 anos da morte do dono da obra [qualquer tipo] a Obra não pertence a “ninguém” e vai para domínio publico[no sentido da idéia].

A boa parte dessa história é que eu posso baixar da Internet Legalmente os tratados de Sócrates ou mesmo colocar no IPOD sem custo algum a ópera Carmen de Bizet. Falei da parte legal, a parte chata é a liberdade em relação a obra. Por estar em domínio publico, ela não pertence a ninguém.

Baseado nessa premissa foi lançado o livro Orgulho e Preconceito e Zumbies. Onde as amáveis filhas da família Bennet são caçadoras implacáveis de Zumbies. O autor deste disparate é o americano [só podia ser] Jason Rekulak, e que até o momento vem arrancando elogios da juventude e recebendo ameaças dos acadêmicos mais conservadores.

Jason afirmou: “Os personagens dela são muito contidos, seus conflitos são sempre internos. Então decidimos que os zumbis seriam uma forma de exteriorizar esses conflitos. Toda vez que alguém está sofrendo, ou tem os sentimentos feridos, os zumbis aparecem — diz o editor, citando uma das cenas mais famosas do romance, o baile em que Elizabeth é insultada por um pretendente”

Essa onda garantiu alguns milhões para Jason, [que é dono da editora Quirk Books] mas essa onda não promete parar por aqui. Ele ainda vai lançar Razão e Sensibilidade e Monstros do Mar. E Androide Karenina [o clássico do russo Tolstói Ana Karenina, misturada com robôs de aspecto humano].

E ainda pra piorar o soneto, Hollywood está interessada em produzir um filme [mostrando a falta de criatividade dos estúdios].

Aqui temos uma comparação com o texto clássico e a versão do seu usurpador

Original: “É uma verdade universalmente aceita que um homem solteiro possuidor de razoável fortuna deve estar à procura de esposa.”

Deturpador: “É uma verdade universalmente aceita que um zumbi, uma vez de posse de um cérebro, necessita de mais cérebros.”

Por aqui o livro vai sair pela editora Intrínseca [só podia] [clique aqui e leia as primeiras páginas]

Anúncios

4 comentários em “Destruindo Clássicos (Orgulho e Preconceito e Zumbies)

  1. Não sabia desse lance de se tornar publico, que sacanagem heim….tudo tem seus pros e contras…beijinhus

  2. Madame Poison disse:

    Quem tem amigos (ou um amigo) é uma pessoa de muita sorte, porque é algo para poucos.

    Quanto ao filme, arrumarei sim. Sei que vale muito a pena, muito pelos elementos já elencados…rs!

    E quanto à questão da saruel, é bom saber que não sou a única a achar horrivel aquela peça de vestiário…totalmente “insexi”…hehe!

    Inté!

  3. Paradis disse:

    Acho que o sr. deveria me agradecer publicamente, ou seja, neste post, sobre a informação dos 70 anos e etc.! Hunf…no mais tb acho ridículo essa modinha, mas é só isso, uma modinha…não vai ficar para a história e virar clássicos como os originais de Miss Austen!

  4. OMG!!!!!
    Morri e, por favor, não virei zumbi!!!!!!! Era só o que faltava…

Comente [Vamos dividir um Drink!]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s