Aprendendo a amadurecer (A Educação)

Aprender com os erros é o melhor caminho?

Até o Final do Filme vc se apaixona

Tirei o dia para ver o filme A Educação, que teve a sua estréia na sexta-feira. Arrependi-me de não ter ido ao cinema antes, o filme é magnífico. A atuação de Carey Mulligan é magnífica, se não tivesse concorrentes de peso ao seu lado a vitória no Oscar seria simples e bela.

Carey Mulligan interpreta a jovem Jenny, uma garota comum dos anos 60 que vive em uma cidade pequena na bela Inglaterra [podemos dizer que o sotaque britânico e as belas paisagens do interior inglês, também são ingredientes essenciais desta película]. Jenny sonha em partir, se mudar da cidade pequena, ela quer ser francesa. Fumar cigarros finos, usar preto, ver cinema e ouvir Jazz o dia todo [como ela mesmo diz].


Jenny [Carey Mulligan] é aquela garota normal [até o final do filme vc se apaixona por ela. Pode ter certeza], sem muitos atrativos físicos. Jenny é magrela, baixa, com a pele branca [quase transparente] com um sorriso simples, mas sincero e com uma risada nervosa que as vezes pode ser encantadora.

Jenny é real, ela é a CDF que se escondia na classe por trás dos óculos e as roupas maiores que seu corpo e que olhava para todo mundo por cima de seu livro de literatura. A garota que precisa ser descoberta, a garota que só tem a atenção dos professores. Professores que olham para esta aluna e se enxergam mais novos, em um passado não muito distante.

Só que Jenny como toda adolescente está presa aos laços paternos [nem sempre laços às vezes rédeas]. Seu Pai super protetor [interpretado pelo grande Alfred Molina] sonha em colocar sua filha em Oxford [a melhor faculdade], no fundo este [como todo] Pai quer é que a filha não passe dificuldades na vida.

David o Novo Mundo

Jenny vivia muito bem entre estudo e sonhos [só que infeliz]. Até que aparece em um dia chuvoso o misterioso [BonVivant] David e cavalheiramente lhe oferece uma carona. Jenny acaba aceitando, este primeiro passo desencadeia uma revolução na vida de Jenny [Neste momento ela deixa de ser a garota que se esconde atrás dos livros], e nesta revolução o misterioso David não só conquista Jenny, mas seu Pai super protetor tb.

Com essa paixão Jenny sai de seu mundo pequeno e abre os olhos para o mundo real e percebe a vida não é apenas estudar. Existe um mundo para se viver, ao mesmo passo que este mundo pode te fazer feliz em certos momentos, como pode te fazer ficar triste da noite para o dia.

Uma outra vida: Tarde no por do sol em Paris

Entrar no mundo de David é sair da mesmice que ela tanto se queixava [ser de David é ser finalmente descoberta]. Só que essa fuga tem um preço. David se mostra pouco a Jenny, no fundo ela sabe que existe algo de errado neste conto de beleza e felicidade. [Só que mesmo assim Jenny quer viver]

Apesar do Drama real dos personagens, podemos destacar alguns momentos divertidos, como na primeira noite em que David vai a casa dos pais de Jenny para convencê-los a deixar a filha chegar mais tarde em casa.

Ou na primeira noite que os dois [realmente passam juntos] onde após perder a virgindade, ela zomba da rapidez com que tudo aconteceu [deixando nosso personagem boa vida com cara de besta na cama] e compara com a literatura e a música que geralmente engrandece o momento que pra lá não passou de segundos.

Nos livros era melhor

Ou momentos fantásticos, como a tão sonhada viagem a Paris, onde Jenny pela primeira vez encontra o mundo que ela tanto sonhou.

Carey Mulligan - Torcendo por vc no Oscar

[Não vou me alongar mais, deixo apenas uma dica deste belo filme. Que não vejo a hora de rever.]

A Educação - Nos cinemas

17 comentários em “Aprendendo a amadurecer (A Educação)

  1. Desi disse:

    antes de ler a história, que me pareceu muito boa, eu iria olhar só poelo cenário e figurino =)

    Bjão

  2. _Isabela disse:

    estou louca para ver esse filme, parece que sou só eu, muitos daqui nunca ouviram falar ou mal sabem sobre o que é o filme…

    o cinemark, pelo menos, não vai exibir educação em belo horizonte ):
    enquanto avatar está há 3 semanas…

  3. vc tambem gosta de rever os filmes?? ehehehe tem filmes que jah perdi as contas de quantas vezes assisti…e é verdadee toda mulher se desilude de uma certa forma com a primeira vezz..é uma merda literalmentee..sauihauihsuah
    bjoss

  4. Vanessa disse:

    Já tinha ouvido falar desse filme…tb quero mto vê-lo! A fotografia deve ser linda!

    Meu irmão vai passar uns dias por aí…vou falar pra ele te mandar um abraço! kkkkkkkk

    É uma acerola…aqui em casa…*.*

    Bjosss!

  5. Fui assistir ontem no Unibanco.
    Gostei bastante. A atuacao da Carey Mulligan (que eu nao conhecia muito) é indiscutível. Achei um filme inteligente e ao mesmo simples.

    Eu nao falo quase nada de ingles. Na verdade nao sei nem conjulgar o verbo To Be. Mas estou fazendo um curso que ensina ingles britanico.
    Fluente mesmo só alemao e casteliano. E arrisco algumas coisas em frances.

    Absinto Camargo tem a venda proibida pelo nível elevado de alcool, mas voce encontrar em algumas galerias no baixo Augusta, ou voce pode comprar no próprio site.

    Eu acho que é uma bebida pra homem, é forte e tem gosto de acetona. Eu prefiro vinho.

    Voce gosta de Joy Division? Saiu uma colecao limitada de 3 vinis, 180 gramas. Cerca de 200 dólares, pensando a longo prazo, um bom investimento.

    Bju

  6. Há, eu disse que devia ser bem triste né…

    Eu estava confundindo com o filme Preciosa, que tem a atriz concorrendo ao oscar.

  7. Desi disse:

    Tens como avisar a moça do Café D’ Von que não consegui comentar no blog dela?
    Referente aos lábios com gosto de cerveja 🙂

    bjs

  8. Eu comentei hoje no blog dela, mas nao sei o que aconteceu Fers.

    Eu aprovo todos comentários. E depois do primeiro nem precisa mais de autorizacao pra comentar…

  9. Eu sou do século passado, da década de 80.

    Eu tinha todos os vinis do Smiths e do Morrisey que o infeliz do meu ex me roubou.

    Do Morrisey comprei os dois ultimos dele. Nao tenho habito de comprar cd, só vinil mesmo e todos gringos sao de boa qualidade. Esse do Joy nem se fala, 180 gramas…

    As minhas referencias literárias (Poe, Baudelaire, Byron entre outros) também sao fiéis ao absinto…

    04.05.85

    Xoxo.

  10. ...assim, assim... disse:

    Nossa…quero muito ver…e com seu comentário, minha curiosidade cresceu…
    Aqui ainda nãochegoou (roça). Pelo visto devo ver apenas em Gyn esse final de semana..

  11. Priscila disse:

    Tive vontade de assistir!!!Agora só vou poder assistir sábado, na realidade nem sei se vou assistir sábado, só se meus amigos quiserem hehehehehehe nunca fui ao cinema sozinha NJSOASONASJASOIAOSN

  12. […] alguns meses atrás, meu grande amigo Ferds,  postou sobre o filme A educação. E na época fiquei curiosa pelo filme, mas não cheguei a […]

  13. […] Bretton arruma um inimigo, Jake Moore, um pequeno corretor que trabalhava em uma das empresas que Bretton ajudou a destruir, Jake namora a filha de Gekko, interpretada pela bela [neste filme nem tão bela] Carey Mulligan agora de cabelos curtos e sem seu charme [clique aqui e leia sobre A Educação]. […]

  14. […] diretora Lone Scherfig, que anteriormente dirigiu Educação [clique aqui e leia sobre o filme] falha grandiosamente nessa adaptação por fazer as escolhas erradas. Ao invés de amarrar os 20 […]

  15. […] [clique aqui e leia] foi o filme que elevou Carrey Mulligan ao estatus de estrela, na cena do primeiro encontro com o […]

Comente [Vamos dividir um Drink!]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s