Uma história real (O grupo Baader Meinhof)

Concorrendo a Oscar de melhor filme estrangeiro.

2008-11-16-baader1

Na sexta passada estreou no cinema o filme “O Grupo Baader Meinhof”, apesar do filme ser espetacular não está tendo uma boa distribuição. Na quinta contrariando ordens médicas fui até a Paulista e resolvi entrar em um daqueles cinemas Cults da região [único lugar em SP q o filme estava sendo exibido].

Não sou muito de ir nesse tipo de cinema, mas acabei me surpreendendo e até gostando, o cinema tem poltronas confortáveis, bom espaço para esticar as pernas [1.85 de altura] e uma elegante cortina [como em um teatro] que abre ao inicio do filme.

Como peguei a sessão das 14hs não encontrei muitos cults, na verdade na sala só estava eu e mais 5 pessoas e valeu cada minuto, se puder assista a esse filme vc não vai ser arrepender

Vamos ao filme.

Se o cinema tivesse o poder de transportar os cheiros da cena ao telespectador, esse filme teria o cheiro de sangue e pólvora, mas não posso classificar ele como um filme violento, eu devo dizer q é um filme real que conta uma passagem negra da história mundial.

O filme começa com um panorama da sociedade Alemã da época, onde de um lado a burguesia que bebe champanhe e fala de liberdade e direitos e do outro os estudantes [uma força] que buscavam garantir esses sonhos.

Nossa primeira cena de ação acontece logo após esse panorama, em uma manifestação contra a chegada do Xá do Irã que fazia uma visita na Alemanha. Nesta manifestação vários estudantes se machucaram e um deles acaba morrendo, baleado por um policial.[“A guerra só começa após o primeiro Disparo”….Napoleão Bonaparte]

A jornalista Meinhof e Baader

A jornalista Meinhof e Baader

Então depois disso vemos o aparecimento de Ulrike Marie Meinhof,uma jornalista que cansada de só produzir textos contra o governo, acaba se juntado a uma gangue que ficaria conhecida posteriormente como Baader Meinhof.

Então vemos a ascensão do Grupo 1970 até sua queda em 1972, contando ainda um pouco do seu treinamento anos antes na Jordânia. País que apoiava as guerrilhas urbanas. O grupo com o tempo acabou perdendo um pouco do seu foco, ao mesmo tempo em que eles criticavam o modelo consumista americano o seu líder Baader adorava roubar Porsches para passear pelas ruas.

Treinamento na Jordânia

Treinamento na Jordânia

Mesmo assim o grupo foi muito eficaz em seus 2 anos de formação, com vários assaltos a banco, que serviam para financiar novos membros e mais golpes. Os assaltos visavam não atingir a população e sim o sistema monetário da nação, ou mesmo ataques a embaixadas americanas e a quartéis americanos espalhados por toda a Alemanha.

Com o tempo a inteligência Alemã conseguiu rastrear o grupo e o desmantelou, neste momento o inferno cai sobre eles, a policia desconta toda a sua raiva contra o grupo, os fazendo passar fome e os isolando.

Só que o grupo exercia uma grande influencia nas pessoas do seu País.  Esses simpatizantes continuarama tentar libertar os antigos lideres da gangue, mas todas as tentativas foram frustradas. O que fez com que  o grupo Baader desistisse de lutar.

Apesar de suas cenas de violência o filme tem muito a mostrar e a ensinar sobre uma época onde a revolução e os movimentos aconteciam de verdade. E pode ate servir de recado para os jovens, para mostrar que podemos mudar a situação em que vivemos.

baader-meinhof-komplex-2

Como diria David Gilmour na celebre música Hey You do disco The Wall

“Together we stand, divided we fall”

Veja o Filme

Veja o Filme