Maquiagem, batom e guitarras (Estréia da Banda Cherry Kiss)

Estamos chegando a quase um ano de BLOG e uma das minhas vontades sempre foi  colocar algumas entrevistas no ar. Por mero acaso do destino, eu encontrei  a Banda Cherry Kiss.

Fizemos uma entrevista com as integrantes e vamos apresentar o material delas aqui, a banda está passando por um momento importante, o primeiro Show.

Chamei o Humberto para fazer a nota pq ele é especializado no ramo e como eu, ele ainda acredita no Rock and Roll.


OgAAAKYnl09TpvfPSemAWFxC-l5Urm-NgE7dru-3sfrUUuGV1VHwPb7iv6b1dMqA2N5V76d1_a4zzQ8tAnVYx4UQbHoAm1T1UCMu7zJYJgC8EHiThPtA0YWvAQbLO que esperar musicalmente de garotas próximas dos 20 anos? Axé? Micareta? Não. Pense em guitarras raivosas, um som agressivo e no bom e velho rock n’ roll. Essa é a proposta do Cherry Kiss, banda de Blumenau/SC formada por cinco garotas.

Silvia, Sabrina, Jéssica, Gleica e Franciele no momento ensaiam para gravar o primeiro EP e fazer o primeiro show. No entanto, já demonstram que não entraram nessa história a toa.

A vocalista Jéssica explicou que o grupo quer fazer diferença na cena musical. “Eu acho que faltam bandas com atitude, e geralmente as que começam a fazer sucesso tendem a entrar no pop, no comercial”, lamentou.

A origem da banda foi a mais comum possível, tendo acontecido depois de músicos se encontrarem no momento certo. Talvez isso tenha facilitado as relações entre as garotas, que reflete nos bons ensaios realizados.

Para guitarrista Gleica a música entrou na sua vida como um hobby, mas ganhou contornos mais sérios nos últimos meses. “O que era um simples hobby pra mim, acabou se tornando não apenas um compromisso, mas uma realização pessoal”.

Por outro lado, a baixista Silvia revelou que a música sempre fez parte da sua vida e que tocar contra-baixo acabou sendo algo natural nessa trajetória. O mesmo aconteceu com a baterista Sabrina e com a guitarrista Frã, que como ela mesmo disse ‘sonhou em ser Angus Young’.

O repertório atual tem músicas de Van Halen e Judas Priest. Mas os sons de autoria do Cherry Kiss contam com influências de grupos como Vixen, Phantom Blue e Joan Jett.

Além do EP, a banda projeta para o futuro algumas situações. A primeira delas é a evolução musical. Fato normal para qualquer grupo, o chamado ‘turning point’ é algo encarado com naturalidade pelas meninas. Jéssica mais uma vez afirmou que o tempo será um aliado para as garotas. “Nosso som deve ter algumas mudanças nos próximos anos, mas isso é normal e corriqueiro”, completou.

Uma pista disso é a seleção eclética que as garotas tem ouvido. Desde death e thrash metal até Nickelback, passando por Deep Purple, Led Zeppelin, Def Leppard, Whitesnake, Kiss e Ritchie Kotzen.

Outro ponto que a banda considera é uma possível mudança de cidade. Todas foram unânimes em aceitar o desafio caso seja necessário.

Como já disse uma vez o lendário Bon Scott. “It’s a long way to the top if you wanna rock n’ roll”.

Quer conhecer mais do trabalho da banda Cherry Kiss, acesse o MySpace da Banda entre no perfil do Orkut ou mesmo mande um e-mail.

My Space

http://www.myspace.com/cherrykissband

Orkut

http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=106437366340705189

Nós pretendemos acompanhar os próximos passos da banda e desejamos toda a sorte do mundo para essa nova banda de Rock and Roll.

Agenda de Shows

01/08/2009 – 1º Ecletic Rock Fest
KGB Bar & Cia.
Rua Paraíba, Blumenau/SC.
Início 22h!
Ingressos R$ 5,00 na hora.


22/08/2009 – Hard Rock Edition
Taverna – Indaial/SC.

Bandas:
CHERRY KISS

Sabre (Videira)
Pressure Point (Florianópolis)
Ingressos: R$ 7,00 (antecipados Bebop Discos e Taverna)

OgAAAHtd_yzdc6zBJ5YLE5NYsL1v4ZuvsfTaRqXP2_fKW5Ymz_l5Bx-9C2gnJoPrIc4mdM1JpQ3dEGyYdGIxmUyjj2sAm1T1UGBNjDfQLR-1PmxAkbjwoL7wlrem

Seriado Novo do P&A (Brotherhood)

Os dois lados da moeda.

O canal People And Arts, nunca foi um canal para seriados, o seu foco sempre foi Reality Shows como Miami Ink e derivados, Project Runway, So You Think You Can Dance, Extreme Makeover Home Edition.
Todos esse programas não como os demais “reality shows” do mercado [apelativo] é totalmente light, isso por conta do Canal ser da família Discovery Chanel [um dos canais mais respeitados da Tv a Cabo].

De dois anos pra cá, o canal tb tem investido em seriados como o premiado The Tudors [esse não tão bem comportado assim] e agora leva para a sua grade de programação um grande sucesso do canal Showtime, o seriado policial Brotherhood.[q foi mal exibido pelo canal FX]

Sinopse: Tommy e Mike Caffee, são dois filhos de irlandeses que cresceram numa vizinha barra-pesada em que cada um faz o que pode para sobreviver. Tommy virou um político local que coloca seus interesses acima de tudo e vê sua vida virar do avesso quando seu irmão decide retornar. Mike quer recuperar o poder que tinha no bairro e está disposto a tudo para isso.

Irish Blood

Irish Blood

O seriado tem apenas três temporadas [cancelada recentemente pelo Showtime], mas o tempo que ficou no ar, arrancou bons índices de audiência na Tv Americana.


Brotherhood estréia em 09 de Agosto, domingo, às 22h00, logo após The Tudors

Ouvindo no IPOD (Canções q não são exatamente disso)

As canções nem sempre são o q parecem, normalmente vc acha q ela está falando de uma coisa e quando vc realmente presta atenção na letra não era nada naquilo q vc tinha imaginado.

Na maioria das vezes a canção em questão é feita para representar algo[ou não] e por ter um ritmo mais lento, levamos a crer q ela é de amorzinho e com isso ela pode acabar embalando nossos relacionamentos.

Mas a culpa não é do ouvinte e sim do artista, que nem sempre conta a real razão da criação da música ou mesmo a mídia que coloca a música na situação errada.

Só q vc não precisa mudar a canção tema do seu amor por conta disso, sigo os conselhos do sábio Humberto Gessinger [frase de programa de TV em 1999]

“Eu fiz essa canção a dez anos atrás e na época ela falava sobre uma coisa bem pessoal, se hj ela te faz bem, viva a canção independente do que eu quis dizer”.

Somos quem podemos ser com os sonhos q podemos ter

Somos quem podemos ser com os sonhos q podemos ter

5º Red Hot Chilli Pepers – Under The Bridge [ Sometimes I feel like I don’t have a partner / Sometimes I feel like my only friend / Is the city I live in, the city of angels / Lonely as I am, together we cry]

Uma canção bem famosa da Banda, algumas pessoas associam a música a perda do primeiro guitarra ou aos mais apaixonados outra baladinha de amor, mas não é nada disso a canção fala da dependência de Anthonny Kiedis com as drogas

Em outra parte da canção podemos encontrar uma tal de SHE [ela], essa SHE que ele está se referindo, era a sua dependência das drogas que ele comprava embaixo da ponte.

4º Oasis – Champgner Supernova [Someday you will find me / Caught beneath the landslide/ In a champagne supernova / A champagne supernova in the sky]

liamgallagher-gal-liveOasis é uma banda de atitude [uma das minhas bandas favoritas], cheio de polêmicas e frases de impacto. Só q dessa vez foi diferente, quando Noel fez a canção ele não imaginava o q ela queria dizer.

Isso mesmo uma “canção livre”, como um verso livre de poema, sem regras ou mesmo sentido, são apenas palavras e mais palavras jogadas em rimas. Só que essas palavras deslocadas se fez uma das canções mais belas, porém sem sentido do Oasis.[Palavras de Noel]

Dizem que o ato Champagner Supernova, significa fumar maconha e beber o espumante, será q foi daí q saiu à música?


3º Pink Floyd – Wish You Here [How I wish, how I wish you were here/ We’re just two lost souls / Swimming in a fish bowl / Year after year, Running over the same old ground / What have we found? / The same old fears / Wish you were here]

Essa canção é totalmente perdoável por duas razões, a primeiro pelo título Wish you Here [Eu queria q estivesse aqui] e a segunda por ser Pink Floyd, não dá pra imaginar o q se passa na cabeça desta banda progressiva, movida a altas doses de puro ácido.

A canção foi feita para Sid Barret, que havia se ausentado do mundo real e se tornado um escravo da sua própria mente brilhante e do mundo do ácido.

Syd Barret Talvez o maior gênio da música

Syd Barret Talvez o maior gênio da música

2º Rolling Stones – Sympathy for the Devil [Pleased to meet you Hope you guess my name, oh yeah / Ah, what’s puzzling you  Is the nature of my game, oh yeah ]

Canção mais q “Satanista” do Stones, foi usada como tema de casalzinho da novela da Globo, fazendo a canção se tornar muito popular nos meados de 2004, ganhando uma versão remix.

A simpatia pelo diabo virou tema de amor.


1º Eric Clapton – Tears in Heaven [ Would you know my name / If I saw you in Heaven? / Will you be the same / If I saw you in Heaven? / I must be strong / And carry on / ‘Cause I know I don’t belong / Here in Heaven]

Esse é o pior engano, em março de 1991 o filho de 4 anos de Clapton cai da janela do apartamento do pai e para tentar superar a dor ele cria a canção Tears in Heaven.

Ele não pretendia gravar a canção, mas um ano depois acabou incluindo a canção no disco acústico lançado pela MTV. A música virou um sucesso, mas poucos sabem da tragédia por trás da canção e alguns associam a uma canção de amor.

Clapton parou de tocar a música em 2004  por conta do tamanho da dor que a música ainda causa nele.

eric-clapton-unplugged

Rob Zombie mostra a força de Laços de irmãos (Halloween 2007)

Demorou…muito, mas o filme chegou….

Como dito na Sexta, eu fui hj ao cinema [contrariando as ordens médicas] para ver um filme bom e um Trash. O filme bom eu resolvi deixar para a outra semana, já Trash eu tive q ver ontem mesmo. Halloween que chegou aos cinemas americanos em 2007 só teve a sua estréia na sexta passada no Brasil, isso por conta dos problemas de distribuição da Playarte e o fraco desempenho do filme lá fora.

Jovem Mayers

Jovem Mayers

Rob Zombie, que tem se arriscado muito como diretor, vai tentar reviver a franquia, como muitas outras q estão ressurgindo [Jason, Freddy e agora o grande Mike Mayers].

Zombie está sendo muito criticado por esse filme, que muitos dizem ser o pior de toda a série [e olha que Mayers protagonizou muitos filmes ruins]. Só que reviver lendas sempre é uma coisa delicada, os entusiastas do passado sempre vão dizer que o primeiro foi melhor.

Mayers quer a irmãzinha

Mayers quer a irmãzinha

Mas vamos ao filme.

Nesta versão da história original, pouca coisa foi mudada[até a trilha sonora é a mesma], o massacre acontece no dia das bruxas e dali em diante Zombie, mostra os passos do garoto até se tornar um assassino lendário.

E o garoto cresce, e de gordinho se torna um brutamonte de 2.25 de altura o que facilita no seu trabalho de máquina slasher. Depois de fugir do hospital psiquiátrico e matar o sanatório inteiro, ele vai para a sua antiga casa, atrás do seu último laço de sangue sua irmã [comovente não?].

danny_trejo4

E como em todo o filme Slasher, temos jovens na flor dos desejos sexuais, um xerife local, um segredo do passado escondido a sete chaves e um assassino q consegue estar em todos os lugares ao mesmo tempo. [todos dos ingredientes mais manjados do gênero, mas que não podem faltar em nenhum filme Slasher]

Bitch.....Nerd Gatinha....Bitch

Bitch.....Nerd Gatinha....Bitch

[Saindo do cinema eu comecei a divagar sobre o assunto e percebi que as garotas mais saidinhas e que estão fazendo sexo acabam morrendo mais cedo, se eu fosse o diretor de um colégio católico eu usaria filmes Slasher para educar a criançada.]

Voltando a direção, Zombie não pode colocar todas as cenas sangrentas no filme [sim a censura acaba com a graça das coisas], por isso quando vc for ao cinema vai parecer que o filme foi cortado, graças a isso vc não entende de onde vem a máscara do personagem [isso desagrada bastante].

Outra falha do Zombie é a velocidade que o filme transcorre, depois que Mayers foge e chega a cidade, todo mundo morre, explicando melhor em menos de 15 minutos de filme [na cena da cidade] ele mata 15 pessoas [isso mesmo uma pessoa por minuto].

Se Zombie de um lado cometeu erros, de outro ele acertou em cheio ao escalar dois atores, Malcolm McDowell [o eterno Alex de laranja mecânica] como o doutor que cuida de Mayers durante 15 anos e a belíssima Scout Taylor-Compton [q nesse filme é revelada como a nova musa dos filmes Slasher].

halloweenpic4

Scout interpreta a irmã mais nova de Mayers, ela é a inocente nerd e virgem q não é pega pelo assassino [lição de moral em filme de terror?].

Então se vc quer se assustar um pouco, vá ao cinema assistir Halloween, mas não espere muito do filme. Este ano tivemos a volta de 2 outros Slasher [Clique e veja as notas – Sexta Feira 13 e Dia dos Namorados Macabros], isso mostra que o gênero está voltando a fazer sucesso lá fora, quem sabe se tivermos sorte, poderemos ver mais filmes deste tipo por aqui também.

Zombie lançou lá fora a versão do filme em DVD chamada Halloween Unrated, onde todas as mortes podem ser vistas e o filme também é recheado de extras, eu espero q o DVD chegue ao Brasil.[só não acredito q isso vá acontecer]

Adianta Correr....?

Adianta Correr....?

Zombie já está com o novo filme da franquia quase finalizado, ele vai estrear por aqui no dia 30 de outubro [31 Halloween], vamos ver se dessa vez o diretor consegue ser menos criticado e com certeza teremos outra resenha do filme.

82877XLmp.qxd:82877XL

Um remédio contra o Frio (Café Bravíssimo)

Frio…..muito..frio

O Frio chegou de vez aqui em São Paulo [Eba!], apesar das chuvas e o congelar dos dedos, essa ainda é minha estação favorita. O Frio é bom para dormir, para ficar sem fazer nada nas cobertas ou mesmo ficar abraçadinho com alguém [se vc não tem um alguém nessa época do ano, vá para algum lugar quente].

Um dos melhores remédios para combater o frio, são as bebidas quentes não falo da 51 e sim de cafés e chás.

Pretendo trazer dicas de bebidas quentes para vc poder afugentar o frio e ainda experimentar uma bebida diferente.

Nosso primeiro café é o Bravíssimo, que é vendido no Pão de Açúcar [não sei se é servido em todos os estados do Brasil], mas pode muito bem ser facilmente reproduzido na sua casa.

Meu Segundo do dia.

Meu Segundo do dia.

O Bravíssimo é um café diferenciado, ele tem um gosto meio amargo e doce ao mesmo tempo, ele é uma espécie de “Submarino” só que invés da barra de chocolate temos uma generosa porção de Creme de Avelã Nutella, que balanceia o amargo do café com o doce do creme, fazendo a mistura perfeita.

O mais legal q depois de tomar o café ainda fica um restinho da Nutella no fundo da xícara, deixando um gostinho de quero mais.

Tem mais no fundo

Tem mais no fundo

O café tem um bom preço, 2.20, e só é vendido na rede de supermercados Pão de Açúcar [onde todo o Sábado eu paro para tomar um café e ver o jornal], mas vc pode fazer em casa também.

Modo de Preparo.

Prepare café e não adoce, em uma xícara pequena vc coloca uma colher de generosa de Nutella e depois é só acrescentar o café e seu Bravíssimo está pronto.

Sem Amor.....

Sem Amor.....