Nadal sente dores e volta mais cedo para casa [ATP Finals – Primeira Rodada]

Ao fim da primeira rodada do Grupo A do ATP Finals, veio uma triste noticia, Nadal voltou a sentir dores no joelho e se retira precocemente do torneio. Nadal vem sofrendo com uma lesão desde Pequim, quando perdeu a final para Roger Federer. Com isso acumulou uma desistência em Basel onde tentou se recuperar para estar pronto para Paris e o Finals.

Goffin vence!

Nadal chegou a ter uma melhora aparente, mas voltou a sentir dores em Paris, o que o fez desistir também desse torneio. Seu foco realmente era o Finals, torneio que ele nunca conseguiu vencer. Sua primeira partida no torneio foi contra o jovem belga Goffin, que vem de um ano incrível, com vitória em dois torneios nessa temporada.

O belga enfrentou um Nadal fora de ritmo e manteve seu saque afiado levando o primeiro Set ao tie-break e vencendo por 7-6 (6-5). Até aquele momento Nadal não dava sinais de dores, apenas se mostrava fora de ritmo como qualquer jogador em uma primeira rodada de torneio.

No segundo Set, Nadal se mostrou mais confiante, neutralizando bem o saque de Goffin e devolvendo cada vez mais fundo a bola, dificultando a segunda bola do Belga.

Com isso Nadal conseguiu equilibrar a partida levando a mais um Tie-Break 7-6 (4-7). No fim do segundo Set Nadal já demonstrava um certo incomodo na perna. O Terceiro e último Set decretou o fim de Nadal na competição.

Fim de partida Goffin vence pela primeira vez o então número 1 do mundo Nadal pelo placar de 7/6 (7-5), 6/7 (4-7) e 6/4 em 2h37 de partida. Agora com a desistência de Nadal, Pablo Carreno tem sua primeira oportunidade de jogar um ATP Finals.

Fim de torneio para o Espanhol

Dimitrov também venceu na noite de ontem, e agora decide com Goffin Amanhã a liderança do grupo. No Retrospecto, o Búlgaro leva uma vantagem de 2-0.

Hoje temos Federer vs Zverev [Os dois venceram a primeira Rodada] e Cilic vs Sock.

Amanhã voltamos com mais.

Anúncios

Federer e Zverev vencem [ATP Finals 1ª Rodada]

Ontem foi iniciada a largada para o último torneio de tennis do ano. O ATP Finals, reúne os oito melhores tenistas do ano em uma disputa que foge dos padrões nos demais torneios [Dois grupos onde todos se enfrentam e os quatro melhores avançam para a próxima rodada].

Esse formato dá a chance de uma recuperação e um pouco mais de emoção nas rodadas. Para evitar uma fina antecipada, Federer e Nadal foram colocados em grupos opostos, assim temos Grupo Pete Sampras [Rafael Nadal (ESP), Dominic Thiem (AUT), Grigor Dimitrov (BUL), David Goffin (BEL)] e o Grupo Boris Becker [Roger Federer (SUI), Alexander Zverev (ALE), Marin Cilic (CRO), Jack Sock (EUA)].

Este a quadra está um pouco mais lenta do que do que os últimos três torneios de quadra dura [o que demanda uma adaptação dos jogadores].

O primeiro a entrar em quadra foi Federer que enfrentou o atual campeão de Paris, Jack Sock. O Primeiro Set foi menos equilibrado Federer mostrou uma melhor adaptação ao tempo da bola e a quadra. E isso facilitou a quebra logo no primeiro game do jogo, depois disso o Suíço soube administrar a vantagem e fechou a primeira parcial em 6-4.

O Segundo Set foi mais equilibrado, com destaque para a melhora de Sock, que se manteve vivo na partida e soube fechar a porta evitando assim ser quebrado, já Federer não teve problemas em manter seu serviço, assim como em Xangai, manteve seu saque afiado não dando chance para o americano.
Assim o segundo SET foi decidido no Tie Break com 7-6 em (7-4) para o Suíço.

Salto para a vitoria

O segundo jogo do grupo teve um pouco mais de emoção, a promessa e Número 3 do mundo, Zverev passou pelo quinto colocado Marin Cilic com parciais de 6/4, 3/6 e 6/4.
Mesmo com o saque preciso do Croata, o Alemão soube neutralizar bem o seu serviço e logo na primeira oportunidade quebrou o saque de Cilic, depois disso foi só administrar o Set.
Cilic voltou melhor na segunda parcial e encontrou seu jogo em quadra, levando a partida ao terceiro Set. Neste momento Cilic continuou a dominar a partida abrindo 3-1 com belas idas a rede. Mas a efetividade começou a cair, já que Zverev conseguiu encontrar novamente o tempo da bola e com belas passadas, conseguiu retomar o controle do jogo e vencendo a partida.

Cilic parece estar fora de forma, lembrando que ele ainda não se recuperou totalmente das final de Wimbledon. Zverev está bem sólido, mesmo perdendo um Set o Alemão vem mostrando uma boa evolução e amadurecimento em quadra.

Amanhã voltamos com a tão esperada partida de Nadal, o mesmo ainda sente um incômodo no joelho e parece ser uma incógnita para o torneio, esperamos que ele tenha condições de enfrentar seu adversário.

Borg Vs McEnroe a dramática batalha dos anos 80

Estreia hoje nos cinemas brasileiros o filme Borg vs McEnroe do diretor Janus Metz, o filme conta história de uma das finais mais emblemáticas de Wimbledon, a final de 1980 onde de um lado estava o Sueco Bjorn Borg que naquele ano detinha 4 títulos consecutivos em Wimbledon e buscava seu quinto torneio, contra uma jovem estrela americana McEnroe.

Diferente de Borg, McEnroe estava crescendo como um jogador de tennis, porém seu temperamento e fama de brigão ofuscava suas conquistas e o seu jogo. Por diversas vezes McEnroe perdeu jogos e foi expulso de torneios por sua conduta anti-desportiva.

Borg sempre foi tido como o Homem de Gelo, e Janus Metz [como um amante de Tennis] explora bem as inquietações e problemas que Borg teve por sustentar a posição de imbatível em quadra e sua obsessão pela perfeição.

Mesmo não sendo um documentário o filme tenta mostrar com exatidão o que foi aquela maravilhosa final e como o homem que era tido como uma máquina estava reagindo com toda aquela pressão a sua volta. Borg estava fora de foco, a pressão de vencer Wimbledon pela quinta vez consecutiva pesava muito. O mundo amava seu Tennis, mas seus rivais queriam o seu fim, já que Borg era o homem a ser batido.

McEnroe era o seu oposto, vivia como um RockStar e buscava o reconhecimento e via em Borg [Seu ídolo] a chance de se mostrar para o mundo e encerrar de vez a fama de brigão. 

Outro bom acerto do diretor, foi na elaboração das cenas da partida, com uso de diversas câmeras e os cortes certos o filme passa a emoção da partida. O que vai agradar tanto os amantes do esporte como os que não tem interesse por ele.

Sverrir Gudnason está muito bem na pele de Bjorn Borg. Shia LaBeouf encarna muito bem o seu compatriota e dá o tom certo ao personagem.

Mesmo todos sabendo o final do filme [ou pelo menos sua grande maioria] temos o grato prazer de apreciar o drama vivido pelos dois e como eles encararam o final da partida e como isso foi um divisor de água para a carreira dos dois.

Dois pontos devem ser levantados, Borg poderia ter tido uma carreira mais vitoriosa ainda se tivesse ficado mais tempo no circuito e dificultado a quebra de Recordes de Roger Federer quase 30 anos depois. E McEnroe amargou a maldição que o seu colega e então adversário previu: “Você vai ser um campeão, mas ninguém vai querer te ter como ídolo”. 

Veja Borg Vs McEnroe…

 

Iperespresso Y5

Começamos essa quarta fazendo um review da mais nova máquina da Illy a Iperespresso Y5, máquina que chega para popularizar as capsulas da Illy e concorrer diretamente com a Nespresso, que ainda detém uma grande fatia do mercado Mundial de cafés em Capsulas. 

Bela e moderna Y5

A Y5 lembra muito as primeiras máquinas da Nespresso que chegaram no Brasil, onde o material era mais resistente e o design era colocado em 1º lugar, mas isso não tornava o sistema popular no Brasil, já que a máquina tinha um preço de venda muito alto para o mercado da época. Com o passar dos anos e uma mudança de estratégia as máquinas se tornaram mais acessíveis, porém com uma qualidade mais baixa.

Dois tamanhos de xícara

Mas não estamos aqui para falar de Nespresso e sim da Y5. A maquina tem um belo design e um acabamento de primeira qualidade, com detalhes em plástico [duro] e metal [que não deixa marcas de dedos], diferente das demais concorrentes a Y5 emite uma luz ao sair o café, dando um detalhe interessante para o modelo, seu corta gotas é bem eficiente e evita os respingos no reservatório, facilitando a limpeza da máquina.

Design em primeiro Lugar

 

No quesito limpeza, a sua grelha [local onde se apoia a xícara] é de metal que facilita ainda mais a limpeza, que por vezes outra pode acabar sujando por conta do manuseio do cliente, mas como falamos acima o corta gota da máquina é bem eficiente.

Reservatório de água na frente, que facilita bastante para quem bebe muito café

O sistema de descarte de capsula também é elogiável, sendo bem superior as concorrentes, onde não precisamos tocar na capsula e também não emperra. Na redação testamos 20 capsulas e em todas as vezes não houve erro em seu descarte.

Voltando ao design seu botão para extração do café é acionado por um leve toque no display de vidro, tecnologia não faltou neste novo modelo da illy.

Pensando em linhas gerais a nova Y5 é uma excelente máquina tanto para o uso do escritório como para o uso doméstico. Seu acabamento e bom gosto são superiores aos rivais, porém isso pode ser algo negativo, já que seu custo é mais elevado que o dos concorrentes. E por mais que possamos encontrar suas capsulas facilmente no mercado, a illy não tem uma grande variedade de Blends a disposição. O design da capsula também deixa a desejar, já que ela é feita de plástico, é comum ver rebarbas, o que mostra uma certa falta de cuidado com o consumidor.

Você não precisa tocar nas capsulas

Mas como disse anteriormente a Illy esta iniciando no mercado de capsulas domésticas, devemos dar um crédito para a merca e aguardar sua popularização.

Pontos fortes da Iperespresso Y5:

  • Excelentes materiais e acabamento da máquina. Pode parecer detalhe, mas o peso dos materiais e a resistência deles fazem toda diferença numa máquina para o dia-a-dia.
  • Todo o “manuseio” com a máquina é em sua parte frontal. Reservatório de água e descarte de cápsulas se dá na frente da máquina, facilitando reposições de água, limpeza, além de evitar possíveis “entradas de ar” no sistema da máquina ao tentar extração sem água.
  • O design compacto e de muito bom gosto faz o usuário descobri-la a todo momento. Enquanto desligada os “botões” (a máquina possui painel touch), são invisíveis no vidro preto, fazendo nos perguntar onde estão. Ao extrair o café a máquina emite um som sinalizando o início da extração, além de acender uma luz iluminando a xícara dando charme ao momento tão pouco percebido pelo usuário – como se a máquina chamasse sua atenção para observar seu illy sendo extraído.

Pontos Negativos da Iperespresso Y5

  • Pouca variedade de capsulas.
  • Alto valor em relação ao mercado de máquinas.
  • Falta de acessórios como: misturador de leite para o preparo de outros tipos de bebida.

Voltamos na Sexta

Dicas de presente para o Dia dos Pais

Dia dos pais chegando e sempre fica aquela dúvida do que presentear, podemos esquecer esse ano o velho kit de cinto + carteira ou mesmo as meias e as gravatas. E que tal arriscar com um belo kit de café da Octavio café? Ou mesmo dar um presente mais tradicional como uma boa garrafa de Whisky [mas sem arrumar problema com sua mãe] ou quem sabe um bom livro.

Vamos começar com os cafés:

Quem acompanha o turmadocafé sabe da qualidade dos cafés da Octavio Café, para esse ano ela preparou alguns kits especiais.

O Kit 1 é voltado para um Pai que tem mais tempo e gosta de fazer as coisas por si só. Ela é  composta por uma cafeteira Pressca + um café em grãos 500g + uma caixa de chá + uma lata personalizada (R$ 115,00).

Essa cafeteira Pressca é um excelente presente ela te dá um café na qualidade do expresso de uma maneira bem rápida e prática em breve faremos um post sobre ela. O café nem precisamos comentar muito. Já o chá é uma das novidades da Octavio que em breve falaremos também.

O Kit 2 é para um Pai mais prático, vem com duas caixas de cápsulas + uma caneca (R$ 50,00).

As cápsulas são dos micro lotes especiais da Octavio café, em relação ao que se tem no mercado ela é bem superior as demais, se você vai comprar uma capsula que seja de qualidade.

Mais informações: Matriz Octavio Café  Av. Brigadeiro Faria Lima, 2996 – São Paulo | Tel.: (11) 3074-0110

 

Que tal uma bebida?

Meu pai gosta de apreciar uma boa bebida, acho que eu puxei isso dele. Que tal um bom Whisky.

Se seu pai é um tradicional devemos sempre nos lembrar do velho Jack Daniels tradicional, agora se você quer inovar e não perder esse toque tradicional eu recomendo duas excelentes releituras da bebida. O Honey e o Fire.

O Honey tem se tornado uma das bebidas mais comercializadas da Jack Daniels, já a Fire é uma novidade e merece sua chance, com um aroma e um sabor mais marcante do que a Honey

O Jack Daniels Tennessee Honey pode ser encontrado por uma média de 130 reais. Já sua versão mais intensa a Fire pode ser encontrada por volta de 170 reais.

Essas são algumas dicas, na segunda voltamos com o Review da nova máquina da Illy